quinta-feira, dezembro 14, 2006

Manuel Abrantes

«Nos territórios ultramarinos – ou colónias como lhes queiram chamar – o perigo surgia a cada passo e a vida corria-nos pelo fio da navalha a cada minuto. Era um apertar de estômago que fazia desaparecer no ar o som dos motores das Berliet.Era o "medo" (???) que nos fazia esquecer que, a milhares de quilómetros, tínhamos uma família que necessitava da nossa presença para contribuir com o nosso salário de civis. O pré de militar não dava nem para comprar uns macitos de cigarros.Era assim no meu tempo.E sabe o leitor uma coisa?Tenho muito orgulho em ter participado no dever de militar português em terras de Àfrica. Tenho orgulho por ter sido um militar.Não ganhei dinheiro nem medalhas. Apenas o orgulho em ter servido a Nação quando Ela precisou de mim como militar.Apenas isso…»

Manuel Abrantes no Estado Novo

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home